Header Ads

Big Brother – Duplo Impacto: Cláudio Ramos com medo de apresentar ao lado de Teresa Guilherme?



Em Janeiro Cláudio Ramos e Teresa Guilherme vão apresentar o ‘Big Brother – Duplo Impacto’. Será um reality show num formato inédito e com duas grandes caras TVI.

Ela é a rainha dos reality shows, e o Cláudio está afirmar-se na área, e sinceramente acho que será o seu ano de afirmação e consolidação.

Hoje, sexta-feira 13, o alentejano publicou um texto no seu blog onde fala disto mesmo. Leia tudo:

Continuar a ler

«Vou gritar? Se me apetecer, grito. Vou cantar? Se me apetecer, canto. Vou falar inglês mal? Se me apetecer, falo (…) Será um desafio encontrar a dinâmica certa com a Teresa? Claro que sim. Mas o maior desafio é prender cada um dos espectadores ao ecrã. Esse é o maior desafio».

Ele foi afastado do Big Brother de forma meio injusta, e ficou depois surpreendido por Cristina Ferreira ter voltado com as ideias atrás, «O regresso ao grande formato de domingo agradou-me bastante em todos os aspetos».

Texto completo

“O que já se disse e escreveu sobre a minha vida na TVI foi mais do que se escreveu de mim em vinte anos de televisão. Pode ser um reflexo bom, mas escrevem-se e dizem-se tantos disparates que às vezes apetece explicar tudo «tim tim por tim tim», como se tivéssemos todos sete anos de idade.

Não vale a pena! Aprendi que não vale a pena. Eu estou feliz. Isso é o que importa para sossegar quem realmente me segue porque gosta de mim. Há coisas que sei que não posso contar e há coisas que não sei, mesmo que imaginando. Não somos crianças de sete anos, obviamente que a televisão está a mexer e isso entendemos todos, e também entendemos todos que eu fiquei surpreso quando a Cristina me convidou para fazer o ‘Duplo Impacto’ com a Teresa Guilherme.

Confesso! Fiquei surpreso e feliz. Fui apanhado de forma inesperada. Pensava que a reunião seria para outra coisa e, de repente, um reality. O regresso ao palco do BB com a Teresa. Uau! Liguei logo a uma amiga minha e disse-lhe: «Vês, quem nos haveria de dizer isto quando, sentados num banco da praça, imaginamos o meu futuro? Isto não imaginamos nunca, porque nunca pensamos ser possível!».

Esta é a verdade… Verdade também é que depois de me ter sido explicado porque não faria o ‘BB Revolução’ entendi e segui em frente. Eu sou de seguir e não de ficar a bater em teclas gastas. Não me levam a lado nenhum, mas também é verdade que, na mesma reunião, a Cristina e o Patrício me disseram «não quer isto dizer que não voltes ao realitys». Pensei que estariam a dizer só porque sim, mas a verdade é que não e, por isso, o regresso ao grande formato de domingo agradou-me bastante em todos os aspetos.

Volto mais cedo do que imaginava! É um desafio? Enorme! Estou ali com a responsabilidade de dividir palco com a Teresa, com quem já trabalhei há muitíssimos anos em outros moldes. Estamos todos diferentes. Estamos, agora, de igual para igual, num programa que todos querem ver. «Vamos divertir-nos e entreter as pessoas» foi a primeira coisa que eu e a Teresa dissemos um ao outro e é o que farei.

Existirão dificuldades? Claro que sim, eu também as tive – e grandes – no ‘BB2020’, mas entro neste projeto com o corpo inteiro mergulhado e cheio de orgulho de estar dentro dele. Não chorei como se disse e escreveu. Nem chorei de desespero – que absurdo – nem de felicidade. Fiquei surpreso! Já chorei naquele gabinete mas por outras razões boas. Eu sou um chorão.

Não vos posso dizer que o futuro é amanhã. Nem sequer que o futuro é bom, porque do meu futuro sei pouco. Mas posso dizer que confio na equipa onde estou e que quem me segue não ficará desiludido. A televisão tem esta alma mutante de nos surpreender e querer sempre dar mais. Os tempos são outros. Nós somos outras pessoas.

Na minha cabeça está o mesmo entusiasmo que estava quando o Nuno Santos teve a coragem de olhar para mim e ver-me capaz. Agarrei entusiasmado. Agarrei com erros e acertos o começo de um caminho que tem tudo para dar certo e que será muito importante para mim. Continuarei a acertar muitas vezes e a errar umas tantas. Vou gritar? Se me apetecer, grito. Vou cantar? Se me apetecer, canto. Vou falar inglês mal? Se me apetecer, falo.

Eu sou o Cláudio, não sou outra pessoa. E esta imagem que tenho pública e que é muito colada à real só passa verdade se for verdade quando estou no ecrã. Atenção, não se iludam nem se enganem. Para mim, é desafiante fazer o ‘BB Duplo Impacto’, claro que sim.

Será um desafio encontrar a dinâmica certa com a Teresa? Claro que sim. Mas o maior desafio é prender cada um dos espectadores ao ecrã. Esse é o maior desafio. E é para cumprir esse desafio e não decepcionar quem apostou a sério que me levanto a cada manhã e entrarei em estúdio a cada noite de domingo. Não sei ser de outra maneira.“

Com tecnologia do Blogger.